Descubra porque investir em influenciadores digitais pode bom

A conversão de clientes é um processo que está cada vez mais desafiador para os empreendedores. Sendo assim, muito se tem falado sobre porque investir em influenciadores digitais. Afinal, será que isso pode ajudar? Definitivamente, sim.

No entanto, nem todo mundo sabe como fazer isso do jeito certo – para que os bons resultados apareçam. Primeiro, temos que considerar que as redes sociais alternativas viáveis. Depois, que os influenciadores podem impulsionar publicações e vendas.

Porém, essa construção de público exige tempo, dedicação e estudos. Até mesmo porque os algoritmos mudam o tempo todo. Aliás, já demos uma dica aqui no blog: o número alto de seguidores não significa exatamente retorno em lucros para você.

Considerando tudo isso, vamos direto ao ponto: ter um influenciador digital pode ser bom. Mas, para isso é preciso saber fazer acontecer. E é exatamente isso que vamos trazer nesse conteúdo. Acompanhe.

O mercado

Em uma breve análise de mercado, a gente pode ver que uma assessoria de imprensa pode alisar-se, livremente, aos youtubers e instagramers. Essa já é uma realidade mundial. Logo, na hora de planejar as ações, as agências sempre consideram esses ícones.

ANÚNCIO

É sendo peça importante nesse jogo de xadrez que as estrelas da internet crescem aos montes. Thiago La Torre é especialista nessa área e diz que esse é um tema importante a ser abordado.

“Eu tive a oportunidade de trabalhar com um cliente visionário. A diretoria entrava em contato diretamente com celebridades, especialmente no Instagram, falando sobre a marca, enviando um kit e, se fosse necessário, negociando um merchandising para postagem”, conta.

Dessa forma, a ideia era inovadora porque a gente tem que saber que o Instagram começou a ser mais usado, de forma frequente, no país em 2012 – isto dá alguns anos após essa história contada por Thiago.

E o resultado foi positivo. “Algumas das influenciadoras, que ainda não tinham esse nome, geravam um pico de vendas imediato. Outras não surtiam efeito. No longo prazo, a marca se consolidou no Brasil e nos Estados Unidos sem ter feito nenhuma ação de mídia tradicional”.

O conteúdo

Um próximo ponto importante para fazer saber o porque investir em influenciadores digitais pode ser bom para você é considerar a importância do seu conteúdo. E quem fala sobre isso muito bem é Michel Ank, que é da Bume.

Ele diz que as empresas conseguem divulgar seus produtos com o aval de uma pessoa influente em um determinado nicho – justamente está aqui o diferencial, na visão dele: segmentar as ações e campanhas.

O motivo é que isso permite ao empreendedor escolher o tipo de público atingir e influenciadores com o perfil próximo ao da empresa.

O marketing

Agora, vamos citar um estudo que comprova tudo o que estamos falando aqui. Ele foi feito pela marketplace de influencers Tomoson. E o que diz é que 51% dos profissionais de marketing que utilizam o marketing de influência dizem ter sucesso.

Enquanto isso, 59% dos participantes da pesquisa planejam aumentar os seus orçamentos destinados ao marketing de influência nos próximos 12 meses. Portanto, é algo do tipo “quem está dentro não sai e quem está fora quer entrar”, sabe?

Veja o que diz Thiago: “É como se fosse uma divulgação boca a boca, no sentido que influenciadores são vistos por seus seguidores como amigos. Do lado do influenciador, as marcas ajudam a aumentar sua relevância”, completa.

Os resultados

Para terminar o assunto, a gente deve falar sobre os resultados, que de fato é que vai fazer você entender porque investir em influenciadores digitais pode aumentar as suas vendas, gerar retornos financeiros e até mesmo aumentar a visibilidade da marca.

Thiago La Torre disse que há um estudo que mostra os 2 principais tipos de publicidade que dão mais retorno de investimento nos dias de hoje. O primeiro é a mídia programática online, com 218%. Depois, vem as ações de parceria, com 174%.

Logo, considere que os influenciadores digitais acabam trabalhando com as essas 2 abordagens de uma só vez. “O principal risco é que a marca não use o embalo de exposição para construir sua própria audiência e fique sempre dependendo desta muleta”.

Aliás, é preciso cuidado com a seleção de tais influenciadores digitais. “O cuidado é para que selecione influenciadores corretos para parceria – e não pensando apenas nos números”.

Sobre os digitais influencers, leia também:

Bônus – o planejamento

Agora sim, para terminar o conteúdo, saiba que o ponto de partida é sempre montar um planejamento bem-definido, com definições de metas e traçando os perfis que realmente façam sentido para a empresa.

Logo em seguida, é importante ter os pés no chão para mensurar os resultados que estão sendo gerados – então, você muda o que deu errado.

“É importante se balizar de acordo com as médias globais para ter uma expectativa realista de retorno. O grande campeão de origem de clientes sempre será a indicação boca a boca de amigos e familiares, que é responsável em média por 45% da origem de clientes”, diz La Torre.

E continua: “Os demais principais canais são: Google (16%), anúncio em mídias tradicionais (14%), Review do produto em sites especializados (8%), anúncios on-line (6%), notícias (2%). Os influenciadores ficam com 4%”.

Parte das frases acima foram divulgadas na Revista Impressa Negócios, na edição 127. O conteúdo também trouxe afirmações e informações sobre porque investir em influenciadores digitais é uma ideia inteligente nesses dias.

ANÚNCIO