Descubra o potencial do mercado da alimentação vegetariana

A soma de fatores como a alimentação refinada e processada demais, junto com os distúrbios do sono e do estresse acabam ocasionando o abuso de medicamentos, agrotóxicos e excessos alimentares. Por outro lado, existe outro mercado, o da alimentação vegetariana.

Esse é um mercado interessante por vários motivos. Mas, inicialmente, a gente deve considerar que tudo isso que falamos no início do texto vem afetando o equilíbrio do aparelho digestivo e do intestino.

Fora isso, existe a questão da intolerância também. Sendo que hoje em dia temos uma grande quantidade de pessoas que desenvolvem intolerâncias e alergias alimentares. Portanto, não há dúvidas de que se trata de uma tendência de consumo.

Os novos hábitos

Essa nova tendência que se inicia acaba refletindo em novos hábitos de consumo também. Eis que podemos falar do mercado da alimentação vegetariana como sendo algo totalmente moderno e que está se popularizando cada vez mais.

O motivo é que o acesso rápido a informação tem mostrado que população mundial está à procura da redução do consumo de alimentos e produtos de origem animal. Além das intolerâncias e alergias, também por enquadramento nesses novos hábitos alimentares.

Desse modo, o resultado que temos é que há uma diminuição no consumo de componentes animais ou também a restrição para determinados tipos de nutrientes ou ingredientes, como é o caso mais comum do glúten e da lactose.

A partir dessa reflexão, que vem desde as novas mudanças até as intolerâncias, a gente começa a notar que as pessoas têm buscado e notado pelos benefícios de uma alimentação vegetariana, que pode ser ótima para a saúde.

Os impulsionadores

Assim sendo, essa prática tem sido impulsionada também por grandes organizações, como é o caso da Organização Mundial de Saúde. Várias vezes, a OMS já falou sobre os riscos do consumo elevado de carnes, por exemplo.

Por outro lado, temos um número crescente de pessoas que optam por excluir as carnes e derivados do cardápio ou reduzir seu consumo delas por uma simples e interessante preocupação com os impactos de seus hábitos de consumo.

Entre eles, podemos falar das preocupações com o impacto ambiental negativo da pecuária. Com isso, veja o que disse o presidente da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), Ricardo Laurino, para uma revista impressa publicada no último mês.

“O crescimento do mercado de alimentos alternativos é ascendente no Brasil. Alimentos com formulações mais limpas, conhecidas como clean label – livres de aditivos alimentares e alergênicos -, passaram a ser a opção de consumidores preocupados com a saúde”, diz.

A pesquisa comprova!

E só para fechar essa introdução sobre o assunto, saiba que uma pesquisa da Data Folha, que foi feita em 2017, mostrou que mais de 60% dos brasileiros pretendem reduzir o consumo de carne nos próximos anos.

Portanto, não nos resta dúvidas de que o vegetarianismo está deixando de ser uma escolha de uma parcela restrita da população para ocupar, de forma bastante rápida, uma posição central na mesa dos brasileiros.

Outros números do mercado da alimentação vegetariana

Por fim, você também deveria saber que essas pessoas que vivem sem carne representa uma boa parcela dos brasileiros e ainda somamos a isso os intolerantes. Para complementar o texto, trouxemos dados do Ibope, que é de 2018. Veja alguns números.

Entre os anos de 2012 e 2018 tivemos um crescimento de 75% do público vegetariano. Sendo que um total de 15% dos brasileiros se declararam vegetarianos. Além do mais, considere que 8% da população (isso dá quase 5 milhões de pessoas) pratica o veganismo.

mercado da alimentação vegetariana

Outro dado interessante para ser observado: a cidade de São Paulo concentra o maior número de vegetarianos, sendo assim são mais de 792 mil pessoas. Outra coisa é que 18% da população brasileira faz a compra de alternativas à carne animal periodicamente.

E tem mais: 55% dos brasileiros declaram que consumiria mais produtos veganos se estivessem mais bem indicados na embalagem ou se tivesse o mesmo preço que os produtos que estão acostumados a consumir. Isso foi o que disseram 60% dos entrevistados.

Por último, confira esses números: 63% dos brasileiros buscam reduzir o consumo de carne na dieta, a alergia a glúten acomete 1 em cada 600 brasileiros e 40% dos brasileiros possuem algum grau de intolerância à lactose.

Os números não são apenas relativos à intolerância

Agora sim, para fecharmos o artigo sobre o mercado da alimentação vegetariana, considere que esse novo nicho não se trata apenas dos intolerantes e isso também é mostrado em pesquisas. Desse modo, considere que você pode pensar nesse público e o consumo.

Veja outro dado bem relevante: os grupos de maior consumo dividem-se em:

  • Até 30 anos, pelo ativismo social e consciência ambiental;
  • E na casa dos 50 anos, por preocuparem-se com a saúde e qualidade de vida.

Portanto, qualidade de vida e consciência ambiental também são fatores que o público considera importante e isso só deve crescer nos próximos anos. Portanto, é uma forma de pensar que o mercado existe.

Bônus – conheça alguns cursos gratuitos na área da alimentação

E para quem está pensando em investir nessa área e ainda não tem experiência para isso existe a opção dos cursos gratuitos na área. E a gente já fez um artigo para citar algumas opções disponíveis atualmente na internet e que não tem custo.

Entre eles: alimentação saudável, alimentação na escola, gastronomia com foco na história, gastronomia focado em eventos, agricultura rural sustentável, desnutrição infantil, alimentação adequada, etc.

Se você ainda não leu a matéria pode fazer isso sem custo algum.