Pequenas e Médias Empresas – Descubra se internacionalizar vale a pena

Olhar para fora do mercado interno pode ser uma saída para engrenar empreendimentos de diversos portes. Logo, é uma possibilidade e tanto de aumentar a lucratividade da marca. Porém, é preciso analisar muito bem para saber se internacionalizar vale a pena para você.

Aliás, isso está sempre associado a produtos e não serviços. Ainda que possa existir uma exceção a essa regra. O fato é que o tema ainda é desconhecido pela maioria do empresariado brasileiro.

É por isso que as empresas do setor de serviço dificilmente consideram a possibilidade de concorrer globalmente com outras companhias. Aliás, muitas vezes, isso acontece por motivos de insegurança ou desconhecimento sobre como funcionam os mercados externos. A nossa ideia é falar mais disso.

Uma questão política e econômica

Se você falar com empresários e executivos sobre a situação do mercado que eles atuam e a possibilidade de internacionalizar tais serviços ou produtos, você vai ter uma resposta muito parecida na maioria das vezes.

Assim, a resposta, em raras exceções, vai estar ligada à conjuntura político-econômica do Brasil. Assim, se o País vai bem, há perspectiva de crescimento. Mas, caso contrário, todos ficam à mercê das mudanças no cenário. É o que os especialistas chamam de recuo estratégico.

No entanto, será que pensar somente nisso responde a questão: “internacionalizar vale a pena”? Obviamente, não. O fato é que somos um mercado gigantesco de 220 milhões de habitantes, o equivalente a 56% da população da América Latina.

Empreendedorismo Feminino – Veja 10 ideias de negócios para mulheres

Por outro lado, existem outros mercados ainda não explorados e que precisam de expertise e das soluções brasileiras. Então, por que não se concentrar neles também? Internacionalizar não quer dizer ir para a China ou Europa. Você pode ir para os nossos vizinhos primeiro.

Exportação e idioma

Mais alguns pontos a serem observados tem a ver com a exportação e o idioma. Entenda. Os argumentos contrários a internacionalização acabam falando muito da dificuldade com outros idiomas.

E isso sem contar ainda com as elevadas cargas tributárias e alfandegárias que são cobradas para isso.  Mesmo que estejamos falando de uma área de exportação estruturada e gigantesca, e por aí vai.

Mas, vamos analisar isso. Por exemplo, se o idioma for um obstáculo, há a alternativa de ir para Portugal. Se a distância for uma barreira, pense no Uruguai ou Paraguai. Então, há alternativas viáveis.

Depois, vem outros motivos que podem ser de impedimento: “Mas, quanto isso vai custar” e as “despesas com viagem” ou o “investimento em consultoria”. O fato é que isso tudo pode sair muito mais barato do que parece.

Existe um mercado a ser explorado

Pequenas e Médias Empresas – Descubra se internacionalizar vale a pena

Já falamos isso, mas vale reforçar: há muito mercado a ser explorado lá fora. E o tempo desperdiçado falando da crise pode estar te fazendo perder tempo de investir nesses mercados.

Inclusive, se você observar a fundo vai ver que estamos rodeados por empresas de tecnologia e startups que marcam presença mundo afora. Aliás, temos que destacar países como Israel, Holanda e Portugal, entre outros países.

São incontáveis as organizações de diferentes formatos e segmentos que estão se internacionalizando, sem muitos recursos, mas com muita disposição e resiliência. Ou você acha que o Nubank começou grande? Tudo surgiu de uma ideia pequena, que hoje se tornou uma das marcas mais valiosas.

Aliás, o mais surpreendente é que grande parte dessas empresas são de pequeno e médio porte. Por exemplo, agências online, escritórios de advocacia, pequenos varejos, empresas de software, de serviços de turismo e consultorias especializadas.

No Brasil, também temos exemplos:

  • Ornare, fabricante de cozinhas, armários e closets,
  • Portal Reclame Aqui, de reclamações sobre produtos, serviços, marcas,
  • St James, que produz talhares e peças decorativas em prata para hotéis,
  • Lafer Móveis, entre outros.

Essas são algumas entre centenas que estão nesse processo ou já se internacionalizaram. O resultado, obviamente, você já deve saber: bons, ótimos, rentáveis.

Como começar a estudar a internacionalização

Para quem se interessou e quer pensar mais para saber se internacionalizar vale a pena, saiba que tem jeito de estudar o assunto. Na verdade, existem diversas maneiras de alcançar esse propósito.

Por exemplo, as iniciativas práticas, como procurar uma representante ou um distribuidor. Também dá para ir por conta própria ou por intermédio de uma franquia. Ou, então, buscar um cliente final, que pode ser uma loja, uma rede de hotéis, bancos, construtoras.

Dessa forma, dado o primeiro passo, observe o que os seus competidores estão fazendo: visite uma feira do setor ou um cliente que já trabalha com algo similar ao que você oferece e pergunte quais são as barreiras a serem enfrentadas e como ultrapassá-las.

Mas, antes de visitar um determinado país ou região por iniciativa própria, é sempre recomendável consultar uma Câmara de Comércio. Isso tudo, além de um profissional especializado que já tenha percorrido esse caminho e que conheça as particularidades dos consumidores locais.

Certamente, ele apontará alguns atalhos que resultarão em economia de tempo e de recursos.