Veja 5 dicas para você tirar a sua ideia de e-commerce do papel

O e-commerce, também chamado de comércio eletrônico, ganha cada vez mais espaço entre os brasileiros – inclusive, já tem um sucesso no mundo todo. Assim sendo, se torna um grande aliado dos negócios. Por isso, tem muita gente querendo tirar a ideia de e-commerce do papel.

Obviamente, isso faz todo sentido. Por exemplo, considere que o universo digital ganha cada vez mais espaço na vida das pessoas que querem comprar melhor, pagando menos e com uma experiência melhor.

Isso tudo sem falar, por enquanto das vantagens da agilidade e da praticidade, que são intrínsecas de um e-commerce hoje em dia. Como resultado, a gente vê que toda a população está mais adepta das ferramentas digitais, como aplicativos, para comprar em um clique.

Os dados comprovam

Se você tem uma ideia de e-commerce, saiba que os dados comprovam que você está no caminho certo. Por exemplo, alguns dados da ClearSale apontaram um crescimento de 23% nas compras pela internet em 2019 em relação a 2018.

Já um estudo da Ebit Nielsen previu um crescimento de 15% no segmento do e-commerce no mesmo ano, dando destaque para as categorias de cosméticos e moda. Só esses dois segmentos, juntos, tiveram um faturamento estimado em R$61,2 bilhões.

ANÚNCIO

E tem mais pesquisas. No fim do ano passado, uma pesquisa da SBVC considerou as “50 Maiores Empresas do E-Commerce Brasileiro”. E a lista se iniciou com nomes conhecidos pelos brasileiros: B2W Digital (Submarino e Americanas), Via Varejo e Magazine Luiza.

As dicas para você tirar a sua ideia de e-commerce do papel

Ok, Ok. Você viu que os ventos sopram favoravelmente, não é mesmo? Mas, cadê aquelas dicas para tirar a ideia de e-commerce do papel? A gente fez um estudo sobre a opinião de várias empresas e empreendedores que vendem pela internet. Assim, temos as dicas.

1 – Operação bem-estruturada

A primeira das dicas é da Privalia, que é um outlet digital de moda que está no Brasil há 10 anos. A companhia teve um ímpeto muito grande no crescimento acelerado de vendas nos últimos anos – inclusive, com o aumento na base de clientes.

O motivo? Os representantes da empresa falam muito em sustentabilidade do negócio – e isso inclui as questões operacionais e também de finanças. Fernando Boscolo, representante da empresa, falou sobre isso em uma revista impressa (Negócios – edição 127).

“Há alguns anos, após algumas empresas ficarem pelo caminho, as que mais rapidamente observaram a importância de uma operação bem estruturada e um negócio consistentemente rentável e bem administrado passaram a se destacar”.

Ele vê o mercado brasileiro de uma forma positiva. Sendo que passou por uma fase difícil, mas que hoje mostram as empresas se organizando e se capacitando.

2 – Adoção à internet

Um dos gestores do Peixe Urbano e do Groupon da América Latina, Adalberto da Pieve, é outro profissional que dá dicas para quem tem uma ideia de e-commerce e quer sair do papel e ir para a prática.

Ele fala em crescimento do mercado por motivos como a profissionalização do setor, a rápida adoção de internet e a possibilidade de compras online pelo brasileiro.

Veja um pouco da recomendação dele: “hoje, temos um grande número de profissionais muito qualificados trabalhando no mercado. Houve um amadurecimento do e-commerce brasileiro com respeito à necessidade de lucratividade. A tecnologia também influenciou bastante”.

3 – Agilidade nos pedidos

A Olist é uma empresa que ajuda varejistas e marcas a conquistarem mais clientes e aumentar o número de vendas. Logo, Leonardo Dabague é um dos representantes e também fala sobre alguns diferenciais que qualquer e-commerce precisa ter.

Para ele, com certeza, é um mercado muito mais amplo do que o varejo tradicional. “Mas, assim como no comércio tradicional, é importante ter um bom sortimento, preços competitivos, estoques adequados”.

Além do mais, Leonardo não termina a sua entrevista sem falar sobre a importância de ter um excelente cadastro de produtos e uma operação ágil para receber pedidos e enviá-los aos clientes. “Tudo tem que acontecer no mesmo dia”.

4 – Interação com o Mobile

Mais um dado que pode te ajudar a tomar a melhor decisão é saber que o brasileiro é campeão de tempo conectado na internet, com 9 horas e 14 minutos diários de acesso.

E isso foi dito pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil, com base em um relatório lançado no ano de 2018. Além do mais, 49% desses internautas o fazem apenas pelo celular, sendo que outros 47% usam celular e computador.

Aprenda como colocar uma ideia de negócio em prática com esse guia online

Portanto, há uma boa maioria das pessoas comprando pelo smartphone. Assim, cria-se aqui mais uma dica importante: tenha uma página de e-commerce que funciona muito ame no sistema mobile, que é para celulares.

5 – Nicho de mercado online

Para terminar, saiba que apesar de ter uma ideia de e-commerce que pode ser excelente, você também deve considerar o seu nicho de mercado. E isso pode ser estudado com pesquisas e análises de concorrentes.

ideia de e-commerce

A mesma pesquisa citada anteriormente diz que a maioria dos internautas são das classes D e E. Logo, as pessoas das classes A e B possuem ainda outros tipos de dispositivos. E tem ainda uma pequena parcela que não acessa por conta da falha na conexão ou por serem de áreas rurais.

Assim, Adalberto conclui que “isso aumenta muito nosso desafio como profissionais da área de marketing ou de vendas online. Porém, o fato também nos impulsiona. É necessário preencher os desejos e necessidades do público brasileiro no que range ao e-commerce”.

ANÚNCIO