5 dicas para fisioterapeutas que trabalham por conta própria

ANÚNCIO

Hoje em dia, a gente sabe que existem vários planos e convênios médicos no Brasil inteiro. Isso quer dizer que a maioria das pessoas usam as sessões de fisioterapia com a cobertura do plano.

Por outro lado, os conveniados de todos os planos e coberturas, têm reclamado da falta de personalização desse atendimento. E isso abre campo, no mercado de trabalho, para quem quer trabalhar por conta própria, como autônomo.

5 dicas para fisioterapeutas que trabalham por conta própria

Abaixo, temos algumas dicas bem legais para quem se formou há pouco tempo ou para quem quer abrir o próprio negócio na área da fisioterapia.

1 – valores

O primeiro ponto é sobre valores.

A dica aqui é ter uma média que dê lucro já que o atendimento será personalizado e, ao mesmo tempo, que não seja muito além do que as pessoas podem pagar – mesmo porque elas já pagam o convênio.

ANÚNCIO

Uma boa ideia é cobrar por sessão ou por pacotes de sessões. Inclusive, dá para pensa em bônus na última aula, como uma gratuita, por exemplo. 

Tenha em mente que você terá diferenciais, sim. Mas, antes de tudo, para conseguir clientela as promoções e bonificações são boas ideias.

Uma dica também nesse tópico é sobre montar clínicas particulares junto com outros profissionais de sua confiança. Isso reduz custos se for bem feito.

2 – atendimento

O atendimento tem que ser diferente e mais personalizado do que aquele que acontece nas clínicas conveniadas aos planos médicos.

Isso quer dizer algo como fazer atendimentos mais focados em tempos mais espaçados e com menos pacientes na sala, por exemplo. 

Saiba que quanto menos pacientes tiver, mais atenção poderá dar à eles, por exemplo. E isso é ótimo para fidelizar os clientes.

Além disso, dá para pensar em diferenciais como ter uma café sem bem quente, algumas guloseimas, presentes em datas festivas e tudo mais que vai fazer o paciente se sentir bem.

3 – tecnologia

Outro diferencial a se pensar é na tecnologia. Atualmente, as pessoas preferem marcar consultas e sessões pelo celular.

Então, busque esse diferencial, por exemplo.

Além disso, se possível, leve em conta criar aplicativos ou programas para mostrar o agendamento, as horas vagas, os treinos, os cuidados e outras informações sobre o seu atendimento.

4 – estrutura

Mais um ponto que deve ser visto como importante é a estrutura física que você vai disponibilizar. Saiba que o lugar pode ser simples e compacto, mas tem que ser, no mínimo, confortável.

Isso porque os pacientes precisam de espaço, farão movimentos, exercícios, usarão aparelhos e, afinal, eles estão pagando por tudo isso. 

Seja um lugar alugado, comprado, comercial ou qualquer outro, saiba que tem que ser bem climatizado, limpo, higienizado, com água, suportes, TV ou som ambiente e etc.

5 – especialização

Por último, saiba que você só vai ter sucesso se for um bom profissional, isto é, saber atender e, ao mesmo tempo, saber o que fazer com o seu paciente também.

Para isso, a dica é se especializar sempre e se manter atualizado sobre técnicas, exercícios, atividades, cuidados e tudo mais que gira em torno da sua profissão.

Lembre-se também que cada paciente é único e tem suas dores, necessidades, dúvidas, facilidades… E, portanto, cada aula tem que ser pensada para ele, individualmente.

ANÚNCIO