Como se especializar para ser cuidador de idosos?

Com o aumento da longevidade da população nos últimos anos, é bem visível que a preocupação com os cuidados de pessoas idosas, especialmente de entes queridos, está crescendo.

Por isso, a carreira como cuidador de idosos cresce cada vez mais e muitas pessoas estão cogitando se especializar nessa área, não só para trabalho, mas como também para ajudar algum familiar.

Como se especializar para ser cuidador de idosos?

Cuidar de alguém é uma tarefa muito difícil, porém nada irá satisfazer mais do que ajudar o próximo.

Se o candidato está cogitando essa opção, deve se ater a alguns fatos, antes de mais nada, visto que a profissão requer certos requisitos do trabalhador.

Leia e descubra mais sobre a profissão, salários e como se especializar.

PROPAGANDA

Sobre a profissão de cuidador

Um cuidador de idosos ou acompanhante trabalha em função do idoso para acompanhar, dar remédios, fazer e servir suas refeições, cuidar do bem-estar, saúde, higiene e lazer e também auxiliá-los em tarefas do dia-a-dia.

Não é obrigatório ter uma formação específica, porém, a família que for contatar o cuidador, pode exigir que o mesmo possua algum curso na área, como enfermagem ou primeiros-socorros.

Hoje em dia, há vários cursos específicos para acompanhantes de idosos, sendo sempre importante que o profissional se mantenha constantemente atualizado, participando de cursos, palestras e workshops para agregar mais conhecimentos.

O que é necessário?

Para aqueles que pretendem começar nesta área, é sempre indicado que converse com um profissional que já atue no meio, pedindo que explique sobre as exigências e dificuldades do serviço, assim poderá refletir se é a profissão certa.

Além disso, também é interessante realizar trabalhos voluntários, podendo agregar valor no seu currículo.

Realizar alguns cursos na área é muito importante, existem diversos, mas cabe ao futuro cuidador escolher qual é o melhor para o que pretende realizar no momento.

Lembrando que, por se tratar da área da saúde, quanto mais qualificações o profissional possuir, maiores são as oportunidades.

Remuneração e carga horária

Como a profissão não é considerada dentro de nenhuma classe profissional, perante a lei, não possui um piso salarial próprio.

O salário inicial pode ser um pouco baixo, na faixa de R$ 680, contudo, os cuidadores com mais experiência podem chegar a receber em torno de R$ 1.800 para mais.

A carga horária poderá variara conforme o lugar e a necessidade do contratante, porém, não deve passar das 42 horas semanais prevista na lei.

Cursos para se especializar

Primeiramente, é essencial que o acompanhante tenha pelo menos um curso de primeiros socorros, no qual lhe dará noções básicas para o trabalho.

Porém também existem outros tipos de cursos mais específicos para cuidador, esses podem ser feitos presencialmente ou de forma online, por meio do link, ou com uma rápida busca pela internet é possível achar demais cursos.

É interessante buscar cursar um técnico em enfermagem, mesmo não sendo obrigatório para ser um cuidador de idosos, mas poderá influenciar nas oportunidades de emprego, para se matricular basta procurar na internet as instituições mais próximas e autorizadas pelo MEC.

E se caso o profissional queira investir em sua carreira, realizar um curso superior de enfermagem seria o ideal, visto que por ter a duração de 4 anos, seu conteúdo é bem mais aprofundado e proveitoso.

PROPAGANDA