Conheça 5 regras de ouro para se comunicar bem com o cliente

A gente pode estar falando de estratégias de venda usadas em 1900 e alguma coisa ou das novas ferramentas do marketing digital. Não importa: o fato é que se comunicar bem com o cliente é o primeiro passo para conseguir aumentar as vendas, entre outras vantagens.

Mas, exatamente sobre essa comunicação direta ou indireta com o seu cliente ou futuro cliente, o que você tem visto, estudado e feito na sua empresa? Saiba que existem algumas dicas que podem te ajudar muito na hora de ser mais efetivo – e até mesmo mais simpático.

Abaixo, a gente separou algumas dessas regras de ouro que foram enviadas e comentadas por gente que é da área e que tem um bom know-how para falar do assunto. Continue lendo para saber mais sobre esse assunto e ter esse diferencial de mercado, que faz toda a diferença.

1 – O primeiro contato

Felipe Duarte é coach em performance e liderança. Ele avalia que o primeiro contato é importante para começar um relacionamento. Isso vale para a vida amorosa das pessoas e também para os negócios.

Então, a dica dele é: “evite aqueles assuntos que são extremamente pessoais ou sensíveis. Por exemplo, as opiniões políticas, clubes de futebol ou até mesmo outros que despertem emoções ou reações”. Para ele, isso é desnecessário e um grande risco para as suas vendas.

2 – O “não” como resposta

Essa é outra das regras para quem quer comunicar bem com o cliente. E ela está em praticamente todos (ou pelo menos na maioria) dos livros de finanças, de vendas, de empreendedorismo, de marketing.

Portanto, “jamais diga ‘não’ como a sua primeira resposta”. O motivo, segundo Duarte, é que isso pode demonstrar a falta de flexibilidade ou de interesse que a sua empresa tem em ajudar o cliente a encontrar uma solução. E lembre-se: o seu cliente é muito especial, né.

Por isso, mesmo quando o seu cliente quiser comprar cuecas na sua loja de sorvetes, tente ser o mais paciente e simpático possível. “Demonstre interesse genuíno em tentar entregar algo que foi solicitado, mesmo que isso não seja possível de ser vendido por você, naquela hora”.

3 – As promessas impossíveis

Também não é inteligente da sua parte e nem da parte dos seus funcionários ficar fazendo promessas impossíveis. Então, mesmo que você não tenha que dizer “não” na primeira resposta, também não se deve mentir ou criar algo como solução, sendo que não é.

Jamais se deve prometer algo que não pode cumprir ou entregar. “Quando nos comprometemos a tentar fazer algo para um cliente, estamos evitando dizer “não” sem necessariamente prometer algo impossível”, avalia Duarte

4 – As informações incorretas

Essa, na verdade, não é uma dica de ouro, mas sim um cuidado que se deve ter. Inclusive, tem sido um problema para muitos empreendedores. Ainda mais na Era da informação digital e da Fake News, né.

Saiba que um bom vendedor é o maior especialista no seu produto ou serviço. Ou, pelo menos, deveria ser, né. Então, caso você seja novo na função, sempre tenha em mãos o contato de alguém que possa prestar o suporte adequado ou dar aquela consultoria.

comunicar bem com o cliente

Vai ser um erro muito grande vender um colchão dizendo que ele tem uma garantia de 50 anos, se na verdade, o seu cliente deveria fazer a troca a cada 10 anos. Isso dá uma confusão e tanto. Além de que você perde o cliente e moral, né. Portanto, é uma forma muito errada de se comunicar bem com o cliente.

5 – A empatia com o público

E para terminar esse conteúdo, que é sobre como se comunicar bem com o cliente, vamos trazer aqui a história do apresentador do Shoptime, Ciro Bottini. Para ele, o bom humor e a empatia são boas ferramentas de comunicação nos dias de hoje.

Ele começou a atuar desde 1994, quando entrou no canal. Mas, já tinha experiência na TV Gazeta, quando anunciava a venda de carros.

“Acredito que o meu bom humor e as minhas tiradas rápidas são boas ferramentas e ajudam bastante a criar empatia e conseguir a atenção do público. A persistência também é uma característica fundamental”, ele diz.

Continue lendo:

Botinni traz também algumas variedades nos tipos de comunicação que se deve ter. Mas, mantém uma ideia de que algumas coisas nunca mudam. Por exemplo, ele diz que na TV tudo tem que ser feito no “olho a olho”, mesmo com várias câmeras ligadas ao mesmo tempo.

Na internet, a ideia tem que ser a mesma. “(Não se deve) desviar a atenção dele de alguma forma: seja respondendo WhatsApp ou e-mail, falando ao telefone, olhando para o lado ou transmitindo sensação de tédio”, aponta.

Outra coisa é que, para ele, ter empatia com o público é importante. Assim como conhecer do produto que se está vendendo.

“É preciso entender, ouvir e falar a língua do cliente. Entregar além do que foi prometido, surpreender e ter em mente que o nosso maior patrimônio é a nossa credibilidade”, diz, justificando a liderança nas vendas no canal de TV.