3 atitudes financeiras para começar hoje e estar preparado para o desemprego

Estar preparado financeiramente para o desemprego não é desejar que o desemprego aconteça. Longe disso. A ideia é uma só: encontrar um jeito simples e eficaz de conseguir “se virar” nesses momentos tão tristes e que afetam a nossa vida financeira.

Você já se perguntou como estaria a sua vida hoje se perdesse o emprego? Se você nunca se perguntou ou se tem uma resposta negativa, então, é hora de virar o jogo. O único jeito de dar conta do recado após o desemprego é estar preparado para ele.

3 atitudes financeiras para começar hoje e estar preparado para o desemprego

Abaixo temos uma lista curta e totalmente eficaz para você estar nessa situação. E tomara que nunca o desemprego chegue até você. Mas, se chegar e você estiver preparado, pode até ser que você tenha ideias incríveis e realize o sonho de ter o próprio negócio, por exemplo.

1 – ter controle sobre as finanças

Saber controlar as finanças e fazer isso é algo assim… Totalmente imprescindível para os dias atuais. Isso porque a gente vive uma crise de faz tempo. E isso afeta não apenas com o desemprego, mas com a alta do preço dos alimentos, por exemplo.

Imagine que com R$ 100 você comprava um monte de coisa no mercado. E hoje só sai com uma sacolinha. Então, você tem que estar preparado para tudo na vida, inclusive, para o caso de perder o emprego.

E controlar as finanças nada mais é do que saber quanto você ganha e quanto você gasta. Obviamente, tem que ter uma sobra nisso. Se não tiver, saiba que você não está controlando bem os seus recursos financeiros, o que é um grande erro.

2 – poupar uma parte do salário

Aí, o próximo passo é conseguir fazer sobrar parte do salário. Isso não é fácil e, por isso, temos esse tópico aqui, que é sobre poupar dinheiro.

Se você ganha o salário mínimo, que está próximo dos R$ 1 mil, tem que gastar menos do que isso. Gaste, no máximo, R$ 900, por exemplo. Os outros R$ 100 tem que ser poupado.

A situação do país está difícil e viver com R$ 900 não dá? Busque alternativas inteligentes. Faça trabalhos extras, pense em atuar como freelancer, trabalhar aos finais de semana e reduzir, ao máximo, os seus gastos.

Porque tem que dar! Para estar preparado você precisa poupar parte do seu salário a partir de agora.

3 – montar a reserva de emergência

Bom, finalizando as nossas dicas é fácil entender por que tem que montar a reserva de emergência. Supondo que você aprendeu a controlar as finanças e depois conseguiu poupar, agora resta saber o que fazer com o dinheiro, certo?

É aqui que entra a reserva de emergência. Ela serve, justamente, para imprevistos. E tomara que você nunca use, de verdade. Mas, se um dia algo ruim acontecer, você vai estar preparado.

Se um dia perder o emprego, você vai ter onde recorrer sem precisar de ninguém.

Ah, e de quanto é a reserva? Quanto mais melhor. Mas, os especialistas recomendam um mínimo de 6 vezes o seu gasto mensal. Se recebe um salário mínimo por mês, tenha guardado, ao menos, R$ 6 mil para reservas.